Imagem 1
Imagem 2
Imagem 3
Imagem 4
1 2 3 4
Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Google-Translate-Portuguese to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese
Enquete
Escolha um tema para nosso próximo congresso
Emergências Cardiológicas
Emergências Pediátricas
Emergências Psiquiátricas
Emergências Traumáticas
Emergências Obstétricas
Ver Resultados

Rating: 3.0/5 (177 votos)




ONLINE
2








Seo Kralls

Criar seu atalho



PROTOCOLO PARA INTUBAÇÃO DE SEQUÊNCIA RÁPIDA(ISR)

PROTOCOLO PARA INTUBAÇÃO DE SEQUÊNCIA RÁPIDA(ISR)

 

 

PROCEDIMENTO


1. Preparar o equipamento necessário.

   a. Fonte de oxigênio.

   b. Bolsa-valva-máscara de tipo e tamanho adequados.

   c. Máscara de fluxo unidirecional.

   d. Laringoscópio com lâminas.

   e. Tubos traqueais (TT).

   f. Fio-guia flexível de Bougie.

   g. Equipamento de via aérea cirúrgica e alternativa.

   h. Medicações para ISR.

   i. Materiais ou dispositivos para manter o tubo traqueal posicionado.

   j. Equipamento de aspiração.


2. Assegurar a permeabilidade dos acessos venosos, garantindo pelo menos um ( mas preferencialmente dois) acesso venoso ativo.


3. Pré-oxigenar o doente, usando máscara sem reinalação ou bolsa-valva-máscara com 100% de oxigênio. A pré-oxigenação deve ser realizada por 3 a 4 minutos.


4. Instalar monitor cardíaco e oxímetro de pulso.


5. Administrar um sedativo, como midazolam, caso necessário.


6. Na presença de suspeita ou confirmação de LCT ( Lesão Cerebral Traumática), administrar lidocaína (1,5 mg/kg) 2 a 3 minutos antes da administração de um agente paralisante.


7. Em doentes pediátricos, administrar atropina (0,01-0,02 mg/kg) 1 a 3 minutos antes da curarização para minimizar a resposta vagal à intubação.


8. Administrar um agente paralisante endovenoso de curta duração, como, por exemplo, succinilcolina. Devem ocorrer paralisia e relaxamento muscular no prazo de 30 segundos. A manobra de Sellick pode ser utilizada.

   a. Adulto: 1 a 2 mg/kg

   b. Crianças: 1 a 2 mg/kg


9. Introduzir o tubo traqueal. Se as tentativas iniciais forem mal sucedidas, as novas tentativas devem ser precedidas por pré-oxigenação.


10. Confirmar a localização do tubo.


11. Se tentativas sucessivas de intubação traqueal não tiverem sucesso, considerar a colocação de uma via aérea cirúrgica ou alternativa.


12. Usar doses de agentes paralisantes de longa duração, como, por exemplo, vecurônio, para manter a curarização:

   a. Dose inicial: 0,1 mg/kg EV em bolo

   b. Doses subsequentes: 0,01 mg/kg a cada 30-45 minutos


13. Repetir as doses de sedação conforme necessário.


Observação: As exigências são variáveis para cada doente.


Prehospital Trauma Life Support - 2011 - 7ª edição.