Imagem 1
Imagem 2
Imagem 3
Imagem 4
1 2 3 4
Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Google-Translate-Portuguese to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese

Rating: 3.1/5 (136 votos)




ONLINE
1








Seo Kralls

Criar seu atalho



PROTOCOLO PARA INTUBAÇÃO DE SEQUÊNCIA RÁPIDA(ISR)

PROTOCOLO PARA INTUBAÇÃO DE SEQUÊNCIA RÁPIDA(ISR)

 

 

PROCEDIMENTO


1. Preparar o equipamento necessário.

   a. Fonte de oxigênio.

   b. Bolsa-valva-máscara de tipo e tamanho adequados.

   c. Máscara de fluxo unidirecional.

   d. Laringoscópio com lâminas.

   e. Tubos traqueais (TT).

   f. Fio-guia flexível de Bougie.

   g. Equipamento de via aérea cirúrgica e alternativa.

   h. Medicações para ISR.

   i. Materiais ou dispositivos para manter o tubo traqueal posicionado.

   j. Equipamento de aspiração.


2. Assegurar a permeabilidade dos acessos venosos, garantindo pelo menos um ( mas preferencialmente dois) acesso venoso ativo.


3. Pré-oxigenar o doente, usando máscara sem reinalação ou bolsa-valva-máscara com 100% de oxigênio. A pré-oxigenação deve ser realizada por 3 a 4 minutos.


4. Instalar monitor cardíaco e oxímetro de pulso.


5. Administrar um sedativo, como midazolam, caso necessário.


6. Na presença de suspeita ou confirmação de LCT ( Lesão Cerebral Traumática), administrar lidocaína (1,5 mg/kg) 2 a 3 minutos antes da administração de um agente paralisante.


7. Em doentes pediátricos, administrar atropina (0,01-0,02 mg/kg) 1 a 3 minutos antes da curarização para minimizar a resposta vagal à intubação.


8. Administrar um agente paralisante endovenoso de curta duração, como, por exemplo, succinilcolina. Devem ocorrer paralisia e relaxamento muscular no prazo de 30 segundos. A manobra de Sellick pode ser utilizada.

   a. Adulto: 1 a 2 mg/kg

   b. Crianças: 1 a 2 mg/kg


9. Introduzir o tubo traqueal. Se as tentativas iniciais forem mal sucedidas, as novas tentativas devem ser precedidas por pré-oxigenação.


10. Confirmar a localização do tubo.


11. Se tentativas sucessivas de intubação traqueal não tiverem sucesso, considerar a colocação de uma via aérea cirúrgica ou alternativa.


12. Usar doses de agentes paralisantes de longa duração, como, por exemplo, vecurônio, para manter a curarização:

   a. Dose inicial: 0,1 mg/kg EV em bolo

   b. Doses subsequentes: 0,01 mg/kg a cada 30-45 minutos


13. Repetir as doses de sedação conforme necessário.


Observação: As exigências são variáveis para cada doente.


Prehospital Trauma Life Support - 2011 - 7ª edição.